O jazz é assim…

Ontem ouvi um senhor que me inspirou muito e que disse o que precisava de ouvir há muito tempo, o que queria ouvir há muito tempo. Ele foi cantar ao festival de Sines e disse assim: sê tu próprio. não tentes imitar outros.
foi o que ele tentou fazer toda a sua vida e quem lhe deu força para o fazer foi outro artista que lhe disse o mesmo. mas quantos já disseram o mesmo? montes! mas este senhor falou de forma diferente. falou como se só isso realmente importasse. falou muito seriamente porque “ser ele próprio” era uma coisa muito séria. foi a missão da vida dele. tão importante que agora quer passar esta mensagem, para que outros possam realizar esta vontade que é muito mais do que isso para alguns. é uma necessidade. e eu agradeço!
custou. não foi fácil. pelas palavras dele não o pareceu. ele tentou, tentou, tentou até conseguir. e foi isso que ele disse e que melhor recordo: insistem até conseguirem. não é fácil. não é fácil mostrar quem somos e realizar algo com que nos identificamos, que esteja cá dentro. mesmo que seja um sentimento muito claro cá dentro, temos de andar às apalpadelas até conseguir. até encontrar aquilo. é natural que assim seja. mesmo os verdadeiros “artistas” têm de se esforçar. até este senhor que parece que sabe tão bem o que faz, parece tão confiante, teve de se esforçar. e ele tinha isso sempre em mente. sempre! não é ridículo querermos ser o que somos, não é só para os outros, mas é um desejo que tem de estar presente todos os dias, no dia a dia, no meio daqueles pensamentos e tarefas que parecem tão sensatos, realistas e úteis. é um esforço, uma vontade. não é algo que acontece simplesmente. e por isso não é ridículo pensarmos isso todos os dias porque só assim é possível.
quando ouvi este senhor tive a sensação que é possível porque ele não falou do espetáculo, falou do que se passa lá atrás, nos bastidores. falou no que acontece até o espetáculo ser realizado. ele levantou a manta e percebi melhor. tive a sensação de ser possível porque percebi a dificuldade. eu pensava: fazer uma coisa destas deve ser mesmo difícil! realmente… eu não percebo nada disto. mas é isso mesmo! é difícil. percebi que afinal é possível porque é difícil, assim como me parecia. só assim o pode ser porque o “espetáculo”, a magia dele, não tem nada a ver com a realidade de um dia que se passa em 24 horas. o que se passa até lá? tem que se agir “nesse dia”, nessas horas. A natureza do “espetáculo” é diferente, é completamente diferente, mas é nesse dia, nos dias que vivo uns a seguir aos outros, que tenho que agir. é por isso que leva tempo. é por isso que é preciso insistir. até algo nascer 🙂 algo que já estava cá dentro.

ahhh! então é isso! então quer dizer que não é fácil para ninguém…
mas é possível. e há pessoas que querem e se atrevem a ser elas próprias.

(mas sei, também sei, que isto não é uma urgência para todos. e isso não quer dizer nada! é natural que assim seja. lá está… não somos todos iguais.)

e aqui está o senhor: MULATU ASTATKE (Etiópia)

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s