Pormenores

Cada alimento pede um tipo de faca para ser cortado.

Em cada tipo de prato, os alimentos pedem para ser cortados de determinada forma.

Tábuas de madeira são sempre melhores que tábuas de plástico. Conferem uma maior riqueza e profundidade ao ato de cozinhar. Criam outro som quando a faca lhe bate. Menos oco, com mais substância.

Os alimentos gostam de ser manuseados de determinada forma. Sem medo, de forma destemida e assertiva.

Os alimentos gostam de estar aconchegados. Por isso quando sobram restos, temos de os pôr em recipientes bem à medida. A comida não gosta de andar a nadar. E nós não gostamos de a ver perdida num espaço tão grande porque quase que perde a sua identidade.

Cozinhar requer atenção. A cada momento. Porque há uma informação constante a ser recebida. O cheiro, o sabor, a consistência e textura. O imaginar de como ficaria se…

É muito melhor cozinhar jogando com o que temos disponível do que fazer uma receita específica. Para isso é sempre bom ter uma despensa ou frigorífico recheados. A partir daí é tudo muito simples e surpreendente ao mesmo tempo. E menos stressante também.

No entanto é sempre bom saber fazer pratos específicos. Dá-nos maior estabilidade e confiança. É bom também porque assim podemos satisfazer alguns desejos mais facilmente! A nossa memória recorre a pratos e sabores conhecidos. ‘Ah apetecia-me mesmo aquilo’.