A huge desire. impossible to ignore.

Hoje só queria dizer isto: somos muito maiores do que pensamos.

Vamos seguir os nossos desejos, as nossas fantasias e esperar para ver. não! vamos senti-lo.

A nossa vontade guia-nos. E a nossa vontade é tão grande. É por isso que podemos ser grandes.

A nossa vontade não pode olhar a pormenores. Ela não olha.

Eu quero… Neste momento tenho vontade de… A minha obsessão é… Ultimamente só penso em…

É possível seguir. E esquecer os pais.

É sim. É paixão. E faz-nos sentir do tamanho da vida. Do tamanho que temos de ser.

Vamos deixar-nos surpreender pela nossa criatividade. Vamos deixar que os nossos desejos nos provem que afinal não nos conhecemos assim tão bem. Vamos deixar de ser tão mortos por opção. Que a nossa opção seja agora a infinita abertura. A infinita renovação.

 

O que é que me fez pensar nisto tudo? isto:

http://revistatpm.uol.com.br/especiais/mulheres-que-lutam/a-luta-de-lola-benvenutti.html

Japan

“é difícil! é difícil arrancar do mundo o que combina comigo. eu sei que não tem de ser sempre assim. o mundo não está sempre para nós. mas eu preciso, preciso desses momentos ternurentos em que sinto que estou em casa.

e então é uma felicidade muito grande quando encontro alguma música, alguma imagem, alguma roupa que me fica tão bem. e às vezes basta imaginar um cenário comigo dentro pra ficar tão feliz!

foi o que aconteceu agora. estava a pesquisar arranjos florais japoneses na net e de repente imaginei-me: imaginei-me não como as senhoras todas bonitas que aparecem ao lado deles. imaginei-me eu, tão eu, assim descontraída, vestida meia de preto, tipo hip-hoper ou rapper com uns brincos dourados ali ao lado de um arranjo. os arranjos não são só para senhoras! não não não! são para homens, rapazes, rappers, donas de casa, artistas, raparigas, snowboarders.

sim, sim sim. eu vejo-me ao lado de um ramo, um arranjo super espetacular.”